Notícias

Diabetes e Condução

A Diabetes Mellitus é uma das patologias relevantes na avaliação da aptidão para a condução. Havendo um número crescente de Pessoas com Diabetes, há consequentemente, um maior número de condutores diabéticos, tornando-se este tema incontornável.

A diabetes pode interferir com a condução pois está associada a fatores potencialmente prejudiciais como:

  • a hipoglicemia (valores de açúcar baixos no sangue)
  • complicações associadas à diabetes:
    • retinopatia (lesões oculares)
    • formação de cataratas
    • neuropatia (lesões neurológicas)

A hipoglicemia reduz o desempenho na condução, por isso não se deve conduzir com valores de glicemia capilar inferiores a 90 mg/dL. As lesões oculares afetam a capacidade de visão, que é fundamental à condução, e para a qual há limites mínimos que são exigidos a todos os condutores. Por fim, as lesões neurológicas interferem com a capacidade motora dos membros inferiores o que pode influenciar os movimentos que são necessários realizar quando se conduz.

Para reduzir os riscos de hipoglicemia aquando da condução, os doentes diabéticos devem cumprir as seguintes indicações:

  • ter sempre um glicómetro (aparelho de medição da glicemia) e uma fonte de açúcar no carro;
  • testar sempre a glicemia capilar (açúcar no sangue) antes de iniciar e condução e a cada intervalo de 1h;
  • nunca iniciar um período de condução prolongado com valores de glicemia capilar inferiores a 90 mg/dL sem fazer um pequeno lanche;
  • parar assim que surjam sintomas de hipoglicemia (mal estar, tremor, sudorese, confusão), avaliar e corrigir a glicemia capilar e não retomar a condução antes de ter um valor de glicemia normal, geralmente durante um período entre 30 a 60 minutos.

Para saber mais sobre hipoglicemia, visite as Dúvidas frequentes sobre hipoglicemia ou veja o vídeo sobre Hipoglicemia.

Em Portugal, foi publicado em Julho de 2012 o novo Regulamento da Habilitação Legal para Conduzir1.

De acordo com os termos deste regulamento há diferentes regras para os condutores do tipo 1 (condutores de ligeiros) e condutores de tipo 2 (condutores de pesados e condutores profissionais):

Grupo 1

- É emitido ou revalidado título de condução a quem sofra de diabetes mellitus em tratamento com antidiabéticos orais (comprimidos) ou insulina mediante apresentação de relatório do médico assistente que:

  • comprove o bom controlo metabólico e o acompanhamento regular;
  • ateste que o interessado possui a adequada educação terapêutica e de autocontrolo.

- É inapto para conduzir quem:

  • apresente hipoglicemia grave ou recorrente (hipoglicemia grave é a que obriga à assistência de terceiros e a hipoglicemia recorrente quando há 2 episódios de hipoglicemia grave em 12 meses);
  • demonstre não ter suficiente conhecimento do risco de hipoglicemia ou que não controle adequadamente a situação.

Grupo 2

- Deve ser ponderada a emissão ou revalidação do título de condução a quem sofra de diabetes mellitus em tratamento com antidiabéticos orais ou insulina, mediante apresentação de relatório de diabetologista ou endocrinologista que comprove:

  • não ter ocorrido qualquer episódio de hipoglicemia grave nos 12 meses anteriores;
  • o bom controlo metabólico da doença, através da monitorização regular da glicemia, pelo menos duas vezes por dia e sempre que necessário para efeitos da condução;
  • que o condutor possui o controlo adequado da situação e a adequada educação terapêutica e de autocontrolo;
  • que não existem outras complicações associadas à diabetes.

Para cumprir os requisitos legais o doente diabético deve seguir as regras para uma condução segura de forma a não pôr em risco a sua vida ou a de outrem.

Informação elaborada pela Dr.ª Catarina Moniz, Interna da Especialidade de Endocrinologia do Hospital Egas Moniz, Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental.

1. Diário da República, 1ª Série-Nº129-5 Julho 2012 (Páginas 3458-3459) Clique aqui para ver o documento.

DIAB-1101272-0073 05/2017